17 fevereiro 2017

Clube do terror:As ilhas encantadas do Marajó


Fazia muito tempo que não postava mas as historias que se tornaram lenda do meu querido e amado Pará. A princípio são histórias com um certo terror, mas olhando de outro ponto de vista "são histórias que resistiram ao tempo e a modernização das cidades" que até hoje são contadas de geração para geração, que são respeitadas como lendas preciosas de nossa cultura, que apesar de anos e anos do acontecido não ficaram esquecidas, e quem as ouve acredita que foram verdadeiras, pois quem conta são pessoas simples, pessoas que muitas vezes conhecem alguém que presencio um ocorrido semelhante, ou até mesmo viu algo parecido.
Uma das coisas certas é que quando se fala em lendas da amazônia são poucos que duvidam...

Hoje a história é sobre " As ilhas encantadas do Marajó ", se chamam Coroa grande e Coroinha, cujas são temidas pela população pelo fato que qualquer pessoa que as visitem, nunca mas volta. Apenas volta a embarcação (canoa ou barco) é um mistério, ninguém sabe o que se passa nas ilhas de tão tenebrosas que são. Muitas pessoas acreditam que são seres espectrais,  ( pessoas que vivem no fundo da ilha, em baixo)  outras acreditam que são invenção do povo antigo que vivem na redondeza, mas não tem coragem de irem as ilhas, e sempre ficam com o pé atrás.

Os moradores dos lugares próximos as ilhas afirmam que as vezes houve muito barulho vindo delas a noite ( parece até que dão festas lá ). Sempre chega pessoas novatas que quando ouve as histórias insistem em visitar as ilhas, porém os moradores falam pra não insistirem muito, pois, só pelo fato de estar demostrando tal desejo, poderia ser " encantado " pelos habitantes do fundo.


Sempre aparecem homens corajosos que são bons caçadores e sem medo algum, e com isso se atrevem a visitarem as ilhas, porém desaparecem, ninguém de fato sabe o que acontece, pois eles vão  armados e desaparecem na ilha. Então de fato quem pisa na ilhas nunca volta para contar o que viu e o que não viu.
E outra coisa que acostumava ocorrer: Se a pessoa aproximava muito do local, era acometido de alta febre, durante a qual delirava e falava de estranhos personagens.

Se é verdade ou não, ninguém pode saber, sempre foi assim: Quando o homem não consegue explicar certos fenômenos da natureza, apela para o sobrenatural. E disto a Amazônia está cheia.






Espero que tenham gostado do pequeno resumo da história retirada do livro " Visagens e Assombrações de Belém " de Walcyr Monteiro.

Foto por: Carlos Macapuna

5 comentários:

  1. Oieeee Erika
    Adoro histórias de visões e assombrações, lendas que perpetuam a nossa cultura com delicadeza, apontando para o sensorial, a imaginação e a crença, especialmente em um lugar que já é tão encantador por natureza e tão cheio de mistérios.
    Adorei o conto e fiquei curiosa com o livro de Walcyr Monteiro.
    Amei o post <3
    Bjs Luli

    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Luli <3
      São as melhores histórias não é mesmo? eu AMO <3
      O livro dele é muito bom, conta várias lendas de assombrações de Belém que aconteceram no passado.

      Excluir
  2. Adoreeeeeei seu post, sou fascinada nessas lendas e nesses mistérios da vida hahaha

    beijão,
    Desencana mina!

    ResponderExcluir

Ficarei super feliz com seu comentário, e vou visitar seu Blog com muito carinho.

© Nada De Conto De Fadas - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Criado por: Gabriela Izidório.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo