13 março 2015

Clube do Terror:A moça do Taxi

Hoje a Lenda Urbana tirei uma parte dela do livro "Visagens e Assombrações de Belém" de Walcyr Monteiro.Pelo fato de ser uma sexta-feita 13,nada melhor do que uma lenda que foi de fato real.

Cerca de 22 horas.
Raimundo dirigia pela avenida Independência em direção ao Largo de Nazaré (Praça Justo Chermont). Quase ao chegar à travessa 14 de Março,uma jovem fez o sinal para o táxi. Raimundo parou:
-Por obséquio, deixe-me na avenida José Bonifácio,defronte ao Cemitério de Santa Izabel.
O motorista seguiu para o endereço dado. Ao chegar,a moça falou;
-Estou sem dinheiro trocado. Mas o senhor faça o favor de cobrar, amanha neste endereço.
Entregou um pedaço de papel a Raimundo, no qual estava anotado o seu nome, tendo por baixo: avenida Nazaré,número da casa,do senhor fulano de tal. Meio contrariado, o motorista segurou o papel que lhe era oferecido.
-Mas logo hoje,que a renda está fraca, pensou!

No dia seguinte, pela manhã,o motorista foi ao endereço dado pela moça.
-Bom dia! Mora aqui o Senhor fulano?
-Bom dia! Sim, mora, o que o senhor deseja?
-Vim cobrar uma corrida de táxi da filha dele.
-Mas ele não tem filha, ou melhor, nós não temos, porque sou esposa dele.
-Não é possível!
-Ora, não tenho porque lhe-mentir...
-Mas ontem uma moça assim, assim, correu toda a cidade em meu carro e me mandou cobrar aqui, dizendo ser filha do senhor fulano e que o passeio era o seu presente de aniversário.
A senhora empalidece.
-Olhe, já lhe disse que não temos filhas...
Nesse momento, pela porta entreaberta,o motorista nota o retrato de uma moça. E, apontando-, diz:
-A moça é aquela ali!
A senhora rompe em soluços.
-Não é possível... aquela moça era nossa filha... Mas ela já morreu há tanto tempo... E, realmente, o pai costumava lhe dar de presente uma volta de táxi pela cidade.
O motorista começa a ficar nervoso. Já não se interessava nem em cobrar a corrida. Só quer esclarecer se a moça que pegou o seu carro estava viva ou não.
O caso é solucionado pela chegada do marido,que afirma a morte da moça, prontificando-se a levá-lo ao Cemitério. E lá, mostra o túmulo, onde o motorista vê um retrato igual ao que havia na casa.

-São inúmeros casos de motoristas de Táxis relatados, mas todos com o mesmo desfecho para a cobrança da corrida.

Em Belém por volta de 1960 não se usava a palavra Táxi e sim carro da praça. De fato a Moça do Táxi realmente existiu e se chamava Josephina Conte, que nasceu em 1915 e morreu muito cedo em 1931 ,era uma moça alegre e feliz, mas ficou muito doente e naquele tempo quando se ficava doente pensavam logo que era Tuberculose,mas de fato não era o que Josephina tinha. Então deixou esse mundo e veio fazer uma corrida de Táxi cinco anos depois no seu aniversário, era como se fosse um tour pela cidade e sempre mandava o motorista cobrar a corrida com sua família.
Um dos fatos intrigantes ocorreu na sepultura de Josephina, o pai da moça enviou uma foto a Itália para, para ser incrustada no mármore. Quando o mármore chegou ao Brasil, havia um broche de carro, que na foto original não existia.
Até hoje o Cemitério de Santa Isabel onde está a sepultura de Josephina é muito visitado por várias pessoas, e até do mundo inteiro já que o Cemitério e o mais antigo de belém e quase todas sepulturas são praticamente históricas.


Espero que tenham gostado,beijos.

25 comentários:

  1. Nossa cara, eu não me canso dessa história, a primeira vez que a li foi na escola, nas minhas incontáveis horas de solidão na biblioteca. Mas já conhecia, por noites de faltas de energia, quando todos da rua se reunião pra contar histórias na frente de suas casas.
    Nunca deixarei de me arrepiar com ela.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não me canso rsrs,a primeira vez que soube foi pela minha avó que sempre conta histórias assim.E nem me fale das noites que faltava energia,quando a a galera se reunia na frente de casa,era igual o clube do terror mesmo.

      Excluir
  2. Já ouvi essa história uma vez, mas só me lembrei dela agora, lendo o seu post! Muito bacana haha

    Beijos, Juliana.
    http://afinefrenzzy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal flor,é uma história bastante contada.

      Excluir
  3. eu tenho o livro mas ainda não li =[
    mas essa história eu já conhecia das caladas das noites em que faltavam energia e meus primos vinham me traumatizar
    xero
    Desconstruindo blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa flor,tenta ler tem muitas lendas bacanas lá.
      É impossível não saber néh dessa lenda,por ser uma das mais famosas daqui <3

      Excluir
  4. Já vi uma lenda urbana dessa TV.
    É assustadora demais!!!! =O
    Beijos,

    http://www.umamineirasonhadora.com/

    ResponderExcluir
  5. nossa estou pasma maravilhoso >.<
    http://diariodeumamaeviagem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie linda, tudo bem?
    Eu sempre gostei de histórias assim, meu avô já havia me contado esse caso e eu amava ouvir. Sempre pedia para ele repetir =).
    Amiga, te indiquei numa tag do blog, gostaria muito de ver suas respostas.
    Beijos minha flor.
    http://sabrinaikeda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi lindona tudo ótimo.
      Que legal linda,isso mostra que essa lenda se espalhou pelo Brasil.
      Claro que vou responder com o maior carinho <3

      Excluir
  7. Eu sou medrosa demaaaaais kkkkkkkkkkk
    Já conhecia essa lenda, vi na tv uma vez.
    Beeijos!
    http://masenstale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Alguém já me contou essa lenda ou eu vi na televisão e é realmente assustadora!
    O que eu ainda não sabia era do broche que apareceu na foto :O
    Beijos!
    vaidadecaprichada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assustadora mesmo néh flor rsrs,o broche é bastante curioso.

      Excluir
  9. Olá,
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas achei a premissa bem bacana, só não combina muito comigo e meus tipos de leitura, rsrs.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Então né... Ainda bem que dormi de tarde porque já perdi as esperanças de dormir agora a noite depois de ler essa estória. Eu tenho pânico de estórias de terror, ainda mais quando tem um fundo real e pessoas juram que realmente aconteceu. Chega dar um arrepio.
    Ahhhh!!!!!


    Vidas em Preto e Branco 

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa flor rsrs,já eu gosto muito de histórias assim,ainda mais que foram reais.Com certeza dar um arrepio mesmo.

      Excluir
  11. Aiii lindona,. li essa história a noite. Agora fiquei assim, morrendo de medo :P
    Beijooos

    ResponderExcluir
  12. Essa eu não conhecia, que meda gente!
    Beijos <3

    ResponderExcluir

Ficarei super feliz com seu comentário, e vou visitar seu Blog com muito carinho.

© Nada De Conto De Fadas - 2015. Todos os direitos reservados.
Design Criado por: Gabriela Izidório.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo